Associação dos Veteranos de Basquete Minas Gerais

Gestão 2017/2018:

Presidente: Walter Rolhfs
Vice-Presidente (Master): Carlos Alberto (Carlinhos)
Vice-Presidente (Veteranos): Guilherme Zardo
Diretor Social: Juarez Tupy
Assessora Técnica: Nívian
Assessora Administrativa: Stefane

Notícias da AVBMG:

  • Quinta-feira, 25 de Outubro de 2018

    Basqueteiros e amigos,

     Hoje completando 39 anos faço um pequeno resumo de como chegamos até aqui.

    Começamos em 1977 jogando peladas no Quinze Veranistas às quintas feiras.

    Após as peladas era quase que obrigatório o ritual de participar da resenha no Pavilhão (bar). Tínhamos prazer, o basquete para alguns era apenas um pretexto.

    Foi através destes bate papos no bar que nos unimos, criamos vários laços de amizade e em 1979, sob a liderança do Walter Rohlfs fundamos a AVBMG.

    Este ano estamos comemorando o 40º campeonato.

    Em setembro de 1985 fomos a Fortaleza para incentivar a criação de um movimento como o nosso. Deu resultado, criaram a Associação local.

    Ainda em 1985, liderados pelo Iramar Pinto (de Fortaleza) fundamos a AVBB – Associação dos Veteranos de Basquete do Brasil, hoje FBBM. (Fundadores: Ceará, Minas Gerais, Bahia, São Paulo e Brasília).

    Éramos exemplo de Associação para o Brasil, vários Estados vinham consultar-nos e fundaram suas Associações.

    Com o tempo entendemos que nosso diferencial para outros Estados, foi a participação das famílias nas atividades. Peladas, jogos, eventos sociais, viagens, etc. Algumas esposas iam direto nos encontrar no bar.

    Chegamos a contratar um técnico só para nossas esposas e/ou namoradas.

    Tal o nosso envolvimento, resolvemos comprar um terreno para construir um Ginásio. Cotizamos e compramos. A Associação passou a ser devedora de alguns Associados.

    O terreno valorizou, vendemos e imediatamente compramos outro no Bairro Buritis e começamos a obra.

    Fizemos uma dívida bancária, não foi suficiente e alguns Associados bancaram o restante da obra.

    Fomos a primeira Associação no Brasil a ter sede própria.

    Do nosso movimento saíram Diretores de Clubes, Presidentes da FMB, Técnicos, árbitros, etc.

    Sempre tivemos representatividade no meio esportivo, econômico e social.

    Cada um usando seus relacionamentos buscava patrocínios e nossas atividades só cresciam.

    A nossa dívida com alguns associados continuavam.

    Com a experiência entendemos que administrar um Ginásio não era coisa para amador, ele tem que ser utilizado full time. Nossos eventos só aconteciam à noite.

    Exigia-se administração profissional. Quem teria tempo e disponibilidade para assumir este compromisso?

    Surgiu a oportunidade de vender o Ginásio para atender uma necessidade de negociação entre Ginástico e Supernosso.

    Vendemos e quitamos nossa dívida com os Associados, sobrou-nos um saldo.

    Logo depois, tivemos uma experiência tendo uma participação minoritária no Ginásio do Mário Valadares.

    Os interesses eram opostos, o nosso totalmente amador o do Mário totalmente profissional, não obstante o Mário estar sempre nos ajudando.

    Desfizemos a sociedade e voltamos ao nosso modelo inicial, ginásios alugados às terças e quintas feiras.

    Continuamos com nossas atividades.

    Em 2005 já tínhamos iniciado um trabalho de transição para a turma mais jovem, buscávamos lideranças para reunir grupos e continuar as atividades. Assumiram a Presidência, Renato Tostes, Fernandinho, Marcelo Ceni e Diogo.

    Sempre ficando ao lado, acompanhando, orientando e ajudando no que fosse solicitado.

    Em 2017 o Walter reassumiu a Presidência.

    Encontramos um modelo de gestão bem diferente.

    O quadro social não tinha nenhum associado. Entenda como associado aquele que contribui mensalmente.

    O modelo vigente era pagar por evento.

    E as despesas são mensais e fixas.

    Mantivemos as atividades a qualquer preço.

    No ano de 2017 até esta data (out/2018) estamos bancando as despesas (aluguel de quadra, arbitragem, despesas administrativas, pessoal, taxas FBBM, tarifas bancárias, etc.).

    Quantificando, em 2018 a arrecadação foi de R$ 9.790,57, só a despesa com aluguel de quadra foi de R$ 18.000,00.

    A Associação não é um movimento filantrópico, não tem nenhuma ajuda oficial, não tem patrocinadores, só resta a contribuição dos seus associados.

    A Associação sem os associados é apenas um número, o CNPJ. Não existe.

    Apenas o Zardo e o Chicão se propuseram assumir responsabilidades. 

    Necessitamos de pessoas que foquem nos objetivos da Associação e não apenas naquilo do seu interesse pessoal.

    A Associação precisa de mentes e braços.

    A situação atual exige uma decisão firme da Diretoria, visando a nossa sobrevivência.

    Estamos estudando um modelo de atuação para seguirmos em frente. Contamos com vocês.

    Entretanto podemos adiantar, para participar de qualquer evento da Associação terá que contribuir. Não mais será gratuito. Tudo que é de graça não tem valor.

    Não permitimos a utilização nome e logomarca em nenhum evento.

    Nossos objetivos continuam os mesmos:

    “Artigo 3º: A Associação dos Veteranos de Basquete de Minas Gerais tem por objetivo precípuo:

    1-Finalidade social, esportiva, recreativa e cultural em todas  instâncias, bem como a defesa do patrimônio histórico e artístico.

    2-Proporcionar uma amizade e relacionamento sadio entre os adeptos do basquetebol e suas famílias.

    3-Estimular a prática do basquete entre os jovens.

    4-Proporcionar aos adeptos do basquete a oportunidade de praticá-lo.

    5-Promover o retorno de antigos jogadores às atividades esportivas.

    6-Colaborar estreitamente com os órgãos oficiais na organização, desenvolvimento, prática e direção dos destinos do basquete em Belo Horizonte, no Estado de Minas Gerais e no Brasil.

    7-Promover e estimular entre os associados a formação de novos dirigentes.

    8-Promover e estimular o surgimento de novos técnicos, árbitros e mesários.

    9-Promover atividades culturais e artísticas no âmbito de seus associados.

    Parágrafo 1º: ................”

    Nunca descuidamos deste nosso ideal inicial e assim continuaremos.

    Nossa meta sempre foi trabalhar para os que estão chegando, novos veteranos e pré-veteranos.

    Conclamamos esta geração que gosta e ou pratica o basquete, que participem, assumam, deem continuidade.

    Façam sua história.

    Estaremos sempre à disposição.

    Carlinhos